Facebook Forum Insider Instagram Forum Insider

VALENTINA BORNACINA: O que define uma marca Slow Fashion?

A cada minuto, o equivalente a um caminhão de descarte têxtil é jogado no oceano. Apesar deste número ser chocante, os dados sobre a poluição causada pelo mundo da moda não param por aí: estudos mostram que essa indústria é uma das mais poluentes do mundo (dados da fundação Ellen MacArthur) Entre o trabalho escravo, poluição têxtil/ química e degradação ambiental, repensar a maneira que consumimos e geramos moda se tornou uma necessidade nos dias atuais.

Grande parte dessa mudança parte do jeito que compramos roupas. A preferência de consumo que antes era focada em adquirir peças ‘da moda’ agora passa a priorizar a qualidade e durabilidade das peças, especialmente se estas refletem quem somos além das tendências com que as redes sociais nos bombardeiam diariamente. Além da mudança nos padrões de consumo, também se torna extremamente importante escolher bem de onde compramos as nossas roupas.

Marcas que pregam a ideologia do ‘Slow Fashion’ se tornam grande aliadas neste movimento de transformação do mercado da moda. O Slow Fashion - termo definido por Kate Fletcher - propõe uma nova abordagem ao meio de produção e consumo da moda, incentivando tanto os consumidores quanto a indústria a refletir sobre as práticas de sustentabilidade e se opondo diretamente ao Fast Fashion. Mas afinal, o que faz uma marca ser considerada Slow Fashion? 

Transparência com a cadeia de produção Durante a produção e distribuição das peças, as marcas se comprometem em respeitar os direitos internacionais do trabalho - ou seja: horas de trabalho e pagamento justos. Além disso, a produção emprega prioritariamente a mão de obra local e artesanal. A grande maioria das marcas de Slow Fashion disponibilizam em seu site informações sobre a produção das suas peças.

 

  • Uso de materiais sustentáveis O Slow Fashion segue a premissa de incorporar a sustentabilidade em toda sua cadeia - pré produção, produção, utilização e descarte (caso o reuso não seja uma opção) Ao aplicar os princípios slow na fase de pré-produção e produção de roupas (ou seja, na indústria têxtil) percebe-se a prevalência do uso de fibras biodegradáveis e sustentavelmente produzidas, assim como o uso de tinturas que não agridam o meio ambiente.

 

  • Priorização do desenvolvimento sustentável A moda sustentável respeita todos os ciclos de produção, sejam estes humanos (horas de trabalho justas) ou ambientais - respeitando a velocidade de crescimento da matéria prima e sempre optando por insumos locais. Essa leveza e respeito na hora da produção da peça vem da priorização do desenvolvimento sustentável, que consequentemente deixa o crescimento econômico e rapidez na produção em segundo plano. Isso também é refletido no lançamento de poucas coleções ao ano e de peças com pouca triagem - em oposição ao Fast Fashion que, hoje em dia, lança cerca de 12 coleções ao ano.

 

  • Lutar contra a padronização do estilo e a favor da expressão através da moda O Slow fashion traz uma ideologia centrada na manifestação de quem somos através da moda e busca despertar uma consciência acerca o consumo consciente, instigando seus adeptos a consumirem apenas o necessário e duradouro.

comentários

comentários




VOCÊ PODE GOSTAR DE...